quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Rugas



Ora, aqui estão as rugas do meu rosto!
Afinal chegaram!
Entraram sem bater e se instalaram
À inteira revelia do meu querer!
Não vou tratá-las como amigas, não.
(Não são!)
Algumas, se eu tiver sorte,
Pretendo eliminar
Como aos antigos portadores de notícias más.
(Pois rugas falam pelo Tempo e pela Morte.)
Nem vou mentir que me orgulho
Da derrota que me impõem,
Porque as definitivas vitórias serão suas!
Minhas rugas...
Mas preciso aprender
A não ser
Também inimiga do campo da sua conquista:
O meu corpo... a minha alma!
Que eu por inteira seja vista,
Sem me ocultar.
Saberei levá-las pelas ruas
Sob qualquer olhar,
Ante todos os espelhos!
E será como se elas houvessem estado
Sempre comigo: e não me conquistado.
(Terei, ao menos, desmoralizado
A sua vitória.)
E ninguém mais dirá: " Para você o tempo não passa”.
Passa!
Que não me ofenda a negativa.
E, enquanto eu for viva,
Só vou querer, agora,
Receber e aceitar o epíteto
"SENHORA"!

foto: Fernando Schubach

5 comentários:

BIA disse...

Às vezes as rugas falam de morte...mas também falam de vida!

Às vezes as rugas falam de choros, mas também falam de risos!

Essencialmente, falam de vida! (vivida!)


Abraço terno a quem não se deve preocupar com rugas!


BIA

Guilherme disse...

Rugas. Nunca tinha parado nem sequer para pensar sobre elas...

Concordo com o post da Bia. Falam essencialmente de vida! (Vivida!)

Então que vivamos bem nossas vidas, para que, quando elas cheguem para ficar, possamos dizer "Eu vivi!".

Abraços ;)
Gui

Miranda Priestly disse...

nossa, vc que tirou essa foto? onde? perfeita.
adorei !!

Bruno disse...

A poesia é tua?
É linda!
Eu até que gosto de rugas, parece que contam histórias ou sei lá!
Abraço!

Lekka disse...

As rugas são o retrato de uma vida. Cada uma delas conta uma história!
Lindo poema, linda foto.
Beijos
Lekka