sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Abstrato



Ausente desta minha presença
Essente!
Vulgo capítulo de um existir carente
Na suprema corte dos deuses indolentes
Vago a vida feito uns vagabundos

No imundo palácio do mundo
(sem sais!)
Onde a palavra não fala…
O canto não canta…
A rima não versa…

E cessa a conversa do sagrado
Na linguagem da filosofia
Pobre porfia da busca real
No imaterial metafísico
Do imanente racional:
Abstrato humano: animal!

foto: Fernando Schubach
obs: todas as fotos que constam nesse blog são de minha autoria ( quando não for, tera o crédito)Elas são protegidas pela lei do direito autoral. A copia é extremamente proibida.

6 comentários:

Lia disse...

Nandoooooooooo! welcome back
:D

Lekka disse...

Lindo!!!
Este poema é de tua autoria? Realmente é lindo!
Com relação a mudança da lei de adoção, acho que o passo mais importante foi a agilização da destituição do pátrio poder, grande responsável pela permanência das crianças nos abrigos, impossibilitadas de serem adotadas.
Houve realmente um retrocesso no que diz respeito aos casais homossexuais em união estável, mas acredito que aos poucos isso possa ser revisto, pois as estruturas familiares vem se modificando dia-a-dia.
Gosto de receber teus comentários, sempre têm algo a acrescentar, de maneira muito lúcida!
Beijos
Lekka

Zek disse...

Se Deus fosse uma palavra, escrever seria nossa religião.... que belo poema, profundo !!!

Fiquei a vontade quando quiser voltar no meu cantinho, porque aqui virei mais vezes com certeza!

Abração

Thais disse...

É verdade o que tu disse da bienal do Rio! Mas ai acaba indo outros autores, ano que vem to correndo pra do Rio por causa da Meg Cabot! Amo ela!

Lindo texto!!

Ps: uma dica - pra ver o mauricio de souza, se tu tiver em sp, vai no parque da mônica!

Tatah Marley's Confissões disse...

LIIIIIIIIIIIIIIIINDO!
x)

Garotas de Vinte e Poucos disse...

menino, tu é ótimo na arte de fotografar.
Parabéns!
*Lala*